A Galáxia da Internet – Manuel Castells

A Internet é o tecido de nossas vidas. Se a tecnologia da informação é hoje o
que a eletricidade foi na Era Industrial, em nossa época a Internet poderia ser
equiparada tanto a uma rede elétrica quanto ao motor elétrico, em razão de
sua capacidade de distribuir a força da informação por todo o domínio da
atividade humana. Ademais, à medida que novas tecnologias de geração e
distribuição de energia tornaram possível a fábrica e a grande corporação
como os fundamentos organizacionais da sociedade industrial, a Internet
passou a ser a base tecnológica para a forma organizacional da Era da
Informação: a rede.
Uma rede é um conjunto de nós interconectados. A formação de redes é
uma prática humana muito antiga, mas as redes ganharam vida nova em
nosso tempo transformando-se em redes de informação energizadas pela
Internet. As redes têm vantagens extraordinárias como ferramentas de
organização em virtude de sua flexibilidade e adaptabilidade inerentes,
características essenciais para se sobreviver e prosperar num ambiente em
rápida mutação. É por isso que as redes estão proliferando em todos os
domínios da economia e da sociedade, desbancando corporações
verticalmente organizadas e burocracias centralizadas e superando-as em
desempenho. Contudo, apesar de suas vantagens em termos de flexibilidade,
as redes tiveram tradicionalmente de lidar com um grande problema, em
contraste com hierarquias centralizadas. Elas têm tido considerável
dificuldade em coordenar funções, em concentrar recursos em metas
específicas e em realizar uma dada tarefa dependendo do tamanho e da
complexidade da rede.