De Repente, o Amor – Ariela Pereira

Esta definitivamente não é uma das melhores noites da minha vida.
O primeiro cliente que atendi estava fedendo tanto que não pude deixá-lo
chega perto de mim e depois de passar horas sentado na sua mesa, o desgraçado
Eu queria o dinheiro de volta porque ele não me comia. Isso engole seu dinheiro!
O segundo, ele era um cara jovem, da minha idade, do tipo que odeio,
porque você pensa isso, o cara gostoso e quando você percebe que não está se afogando, que
a prostituta que ele pagou para comer só está interessada em seu dinheiro e não em
seu pau fica frustrado e tenta humilhar para ser superior. Daquele idiota
Não devolvi um centavo, já que usava meu corpo como gostava, tentando me pegar
ficar excitado, quando na verdade isso só me causava irritação. Como pode alguém
ser alienado a ponto de acreditar que uma mulher teria prazer em um
completamente estranho? Ele só poderia ser um homem.
Não consigo nem imaginar o que ainda tenho pela frente hoje, porque quando
a noite tende a dar errado, tudo segue o mesmo curso.
Já passa da meia-noite, eu dormiria se não precisasse de outro programa
para pagar as contas que tenho, sem falar na tarifa do quarto, onde preciso
descanse por pelo menos duas horas antes de pegar a estrada de volta para
Quixadá e ir para a aula na faculdade por.
Esta manhã iniciaremos uma nova disciplina, seria fatal perder a primeira
dia.
Impaciente, acendo um cigarro, pego uma dose de Martine no bar e sento
para uma mesa em um canto da boate mal iluminada, cheia de garotas de programa,
de diferentes idades, raças e estilos. A maioria é como eu: eles têm vinte anos de
idade, usar roupas que mostrem o máximo que escondam o corpo, cabelos soltos,
maquiagem chamativa. A maioria tem um ou mais filhos sem um pai para sustentar e
um aluguel a pagar. No meu caso, tenho um filho de dois anos, o
alugar uma bela casa no centro da cidade, uma secretária do interior que está
praticamente minhas pernas e braços e a mensalidade da faculdade para pagar.