Educar sem Culpa – Tania Zagury

Após a publicação do livro Sem padecer no paraíso, que trata da relação pais-
filhos sob a influência da pedagogia liberal, comecei a receber convites para
falar a pais sobre o tema. Esses convites tornaram-se altamente enriquecedores,
pois me possibilitaram, mais uma vez, estar em contato direto com as angústias e
alegrias da atual geração de pais. Foram setenta e seis palestras — todas com
debates ao final. Nesses encontros, riquíssimos de emoções, estive com mais de
sete mil pais.
Foi aí que percebi a convergência dos problemas: tudo que a pesquisa de
campo do livro anteriormente citado indicava estava ali. As mesmas dúvidas, as
mesmas culpas, os mesmos medos e, consequentemente, as mesmas
dificuldades. Os pais me trataram com muito carinho: alegravam-se porque uma
especialista em educação afinal não os estava acusando, pondo-lhes todas as
culpas nos ombros, mas sim entendendo, acreditando neles e no quanto desejam
acertar. Ao mesmo tempo, procuravam com muita ansiedade respostas às suas
indagações… Como afirmo em meu trabalho anterior, os pais, em sua grande
maioria, querem acertar, querem o melhor para os seus filhos. Exceção são os
que maltratam, espancam, violentam. Acredito cada vez mais nisso.